Itabuna Ba: Polícia recupera R$ 920 mil de esquema de pirâmide

Foto: Divulgação

O Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) apreendeu R$ 920 mil de uma quadrilha baiana que vinha sendo investigada por um esquema fraudulento de pirâmide financeira. A Polícia Civil estima que a ação do grupo tenha lesado milhares de pessoas em todo país e rendido mais de R$ 200 milhões aos estelionatários. Segundo a assessoria da polícia civil, o dinheiro estava depositado na conta de Edilane Alves de Oliveira, sogra do também investigado Danilo Gouveia, apontado como líder da quadrilha. Os dois estão com as prisões decretadas pela Justiça e são procurados. O Departamento de Polícia do Interior (Depin), por meio da 6ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), de Itabuna, também participa das investigações. A ação que resultou na recuperação do montante é uma continuidade da Operação Gizé, deflagrada pelos dois departamentos, em agosto deste ano, e que cumpriu dez mandados de busca e apreensão, em Itabuna. Uma das ações ocorreu na sede da empresa de fachada D9 Clube, na Avenida Ruffo Galvão, e lá foram apreendidos veículos, uma moto aquática, uma motocicleta Harley-Davidson, um minerador de moeda virtual e até um drone. (mais…)

Itabuna: PF cumpre seis mandados de busca contra fraude em seguros de carro

Foto: Divulgação | PF
Foto: Divulgação | PF

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (17) uma operação de combate ao crime contra o sistema financeiro nacional em Itabuna, no Sul da Bahia. A ação, batizada de “Prata da Casa”, cumpriu 6 mandados de busca e apreensão em endereços comerciais e nas residências das pessoas investigadas. Uma pessoa foi presa em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, uma pistola calibre 32. De acordo com a PF, os investigados utilizavam uma associação para ofertar ao público em geral seguros automotivos, sem a obrigatória autorização da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). Com essa prática, supostamente, eram ofertados seguros com preços menores do que os praticados pelo mercado, porém, sem a garantia das devidas coberturas, uma vez que não eram controlados pelo órgão fiscalizador. A PF informou que os envolvidos no esquema devem responder pela prática dos crimes previstos no art. 16 da Lei nº 7.492/86, vez que por força do parágrafo único do artigo 1º da referida lei, equipara-se à instituição financeira a pessoa jurídica que capte ou administre seguros. A pena prevista é de reclusão de 1 a 4 anos, além do pagamento de uma multa. O valor não foi informado. Informações do G1.

Itabuna: Mãe queima filha com inicial de nome. ‘Esquentou o garfo’, denuncia uma tia

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma menina de seis anos foi queimada pela mãe nas costas e na perna em Itabuna, sul da Bahia, de acordo com denúncia da tia da criança, que tem a guarda da menor, feita à polícia no domingo (15). Joselane Costa diz que a criança apresentou as marcas ao chegar em casa, depois da mãe levá-la para casa na sexta-feira (13). A mulher não foi presa e a polícia aguarda queixa em delegacia especializada para começar a investigação.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

“Ela está com marca de agressão nas costas e na perna, uma queimadura. Eu perguntei à criança o que foi e ela disse que tinha sido a mãe que esquentou garfo no fogão e queimou ela”, afirma a tia. Segundo Joselane, a queimadura tem o formato da letra “M”, e ela acredita que faça referência à inicial do apelido da mãe da menina, conhecida como “Meca”. A tia da menina diz ter prestado queixa no complexo policial em Itabuna no domingo (15) e levado a criança para fazer perícia da agressão no Departamento de Polícia Técnica, na segunda-feira (16).

Joselane diz que é irmã do pai da criança que, segundo ela, não tem condições de cuidar da menina. Ela afirma que tem a guarda provisória da criança depois de um incêndio em que três irmãos da menina morreram, em um lixão da cidade, há dois anos.

“Três filhos dela morreram no incêndio, dentro de uma barraca trancada no lixão. A mãe estava em outro barraco com outro rapaz”, conta. Joselane diz que após a morte dos irmãos da criança, ela cuidou da menina, que chegou a ficar internada com desnutrição e pneumonia. Segundo a tia, a Justiça concedeu à mãe o direito de ficar com a garota nos finais de semana. A delegada Roberta Alban, da Delegacia da Mulher (Deam) de Itabuna, informou que teve acesso ao boletim de ocorrência registrado pela tia da criança no complexo policial, mas afirma que a investigação não começou porque a parente precisa oficializar a denúncia na unidade especializada. “Ela precisa ir para dar inicio à investigação. Eu visualizei o boletim de ocorrência, mas ela precisa vir aqui prestar a queixa”, diz. Joselane afirmou que pretende ir à Deam ainda nesta terça-feira (17). Informação Rede Bahia